Candidatura de Gomide recebe sinal verde em Brasília

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 0 Filament.io 0 Flares ×

Renúncia ao mandato de prefeito está marcada para sexta-feira, 4

O prefeito de Anápolis, Antônio Gomide, venceu hoje a segunda etapa rumo à candidatura ao governo de Goiás. Em Brasília, ele recebeu sinal verde do presidente nacional do PT, Rui Falcão, para tocar o barco rumo à correnteza braba da disputa. Restam mais dois lances.

Gomide e Rui Falcão

O primeiro é deixar a Prefeitura. Na agenda dele, a renúncia ao mandato que vai até dezembro de 2016, será sexta-feira, 4. Depois disso, é esperar pelas convenções partidárias, marcadas para junho, que deverá homologar decisão já tomada pelo PT goiano em encontro regional. Ou seja, o que faltam são apenas formalidades legais.

E daí? Daí que não será uma eleição fácil. A maior votação do PT em disputas pelo governo do Estado de Goiás foi cerca de 15% dos votos válidos (com Marina Santana, em 2002). E as pesquisas atuais não são nenhuma maravilha animadora. Ele está hoje nas últimas posições. Ou seja, pra ser governador em outubro vai ter que remar uma barbaridade. Mas é claro que todos os candidatos tem problemas. Alguns em uma área, outros em questões localizadas e assim vai.

Gomide se apresenta atualmente com dois bons trunfos eleitorais. O primeiro é a boa avaliação de sua administração como prefeito de Anápolis, segundo maior colégio eleitoral do Estado e, sem dúvida, politicamente mais importante cidade do interior. O segundo ponto positivo dele é a empolgação de sua militância. E olha que tem torcida a favor de Gomide aos montes, mas apenas em Goiânia e em Anápolis. Em algumas regiões do Estado, o PT praticamente não existe. Esse é um obstáculo importante que Gomide vai precisar vencer para realmente se tornar bastante competitivo na disputa deste ano.

Há um outro problema, que poderá ser amenizado ou não até junho: o tempo de rádio e TV, a tal propaganda eletrônica. Até aqui, todos os grandes partidos, donos de boas fatias do horário, ou tem candidato ao governo ou estão próximos de outras coligações. O PT por enquanto está praticamente sozinho. Se conseguir ganhar o apoio do velho parceiro, o PMDB, Gomide irá imediatamente para o céu no que se refere às coligações. Mas, pelo menos neste momento, essa é uma possibilidade tão remota que nem da pra comentar. Aliás, se é ruim para o PT não ter o apoio do PMDB, também é muito ruim para o PMDB não poder contar com o apoio do PT.