Najila

Comportamento: julgamento nas redes sociais é instantâneo, e por isso equivocado. O que parece pode não ser e o que é pode não parecer

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 0 Filament.io 0 Flares ×

A velocidade das redes sociais é impressionante. Para o bem e com todos os males que isso carrega junto. É como uma correnteza dentro de um canyon, levando tudo ao ser redor, desde água pura, cristalina, limpa e fresca até pedaços de tronco, cadáveres de animais putrefeitos, folhas secas e… estrume. Tudo junto e misturado.

Najila

O caso Neymar, acusado de estupro, se enquadra nisso. É impressionante a rapidez com que os usuários das redes sociais – e parte da imprensa também – tendem a julgar o que aconteceu, atribuindo inclusive as culpas eventuais. Os fatos até aqui absolutamente pacificados são claríssimos. A moça diz que sentia atração sexual pelo jogador e o descobriu em uma rede social. Trocaram algumas mensagens e migraram para outra rede, de caráter sigiloso – o WhatsApp. Lá, fato admitido por ambos, nadaram de braçada nas torrentes de libido alimentada pela explosão de hormônios apropriados para as idades que tem.

A situação evoluiu da imaginação, da fantasia sexual, para as vias de fato. Havia dois problemas localizados. O primeiro deles é que estavam a milhares de quilômetros uma do outro. O segundo eram os custos para resolver o empecilho da distância que os separava. Para Neymar, dinheiro não é problema, como se sabe. Ele topou bancar as despesas para materializar a fantasia sexual de ambos. Ponto final. Até aqui, ambos narram exatamente a mesma coisa.

Daí em diante a coisa muda de figura, e as versões se desencontram. Ela diz que foi agredida e estuprada, Ele se defende dizendo que a relação sexual foi consensual. Um deles, provavelmente, está mentindo. Mas quem? Cabe aqui o trabalho de profissionais da investigação, os policiais. Novo ponto final.

Houve estupro ou está em curso somente um plano maquiavélico para extorquir dinheiro de um jovem milionário? Talvez o tempo, e o trabalho investigativo, que inclui certamente o confronto das versões de cada um, podem levar ao esclarecimento dos fatos. E aqui não cabe acusar antes das investigações um ou outro.

A moça já foi chamada de golpista e prostituta.  OK, e por acaso prostitutas são “estupráveis”? Algumas pessoas/juízas de rede social sacramentaram que é um golpe. Que ela topou ser bancada pelo jogador milionário para fazer sexo com ele e depois armou tudo. Pode ser que tenha acontecido isso, mas e se não for? Se a moça queria fazer sexo lindo e maravilhoso com o portador de sua fantasia e acabou encontrando um pequeno monstro tirano bêbado que se tornou violento?

Enfim, somente eles sabem o que realmente aconteceu. Aliás, nem eles visto que a interpretação cabe unicamente ao indivíduo. Neymar disse que o que houve foi uma relação consensual. Pode ter sido sincero dentro dos seus padrões de entendimento do que vem a ser isso. A moça diz que se sentiu agredida e estuprada. Também pode estar sendo sincera dentro daquilo que ela própria pensa. Quanto às redes sociais, a instantaneidade do julgamento normalmente é um equívoco. O que parece ser muitas vezes não é, e aquilo que realmente é parece não ser.