Aumento salarial no Supremo entra em choque com fim do auxílio-moradia: a desmoralização total da República

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 0 Filament.io 0 Flares ×

O presidente Michel Temer tem à sua frente a lei que concedeu aumento superior a 16% nos salários dos ministros do Supremo Tribunal Federal após a aprovação na Câmara dos Deputados e no Senado. A tarefa dele é vetar a lei ou sancioná-la.

A melhor estampa para a derrocada moral da credibilidade da República (imagem da internet)

A melhor estampa para a derrocada moral da credibilidade da República (imagem da internet)

No Supremo, após a péssima repercussão do aumento salarial , com reprovação maciça e imediata da população, os ministros sinalizaram com uma compensação: a proibição legal do auxílio-moradia – a malandragem legal usada para aumentar indevidamente os salários que estavam congelados.

E aí é que surgiu o impasse que mostra a desmoralização total que se abateu sobre esta República. Temer diz que só vai sancionar a lei do aumento salarial após o Supremo derrubar o tal auxílio-moradia. Já o Supremo afirma que só aprova o fim do benefício-malandragem se a lei foi sancionada pelo presidente.

Em outras palavras, o Supremo acha que a palavra do presidente não vale coisa alguma, e o presidente da crédito idêntico ao compromisso dos ministros da mais alta corte da República. Bons tempos em que palavra de honra tinha significado no Brasil…