Futuro governo de Ronaldo Caiado: aliados à beira de um ataque de nervos

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 0 Filament.io 0 Flares ×

O ainda senador Ronaldo Caiado sempre teve o desejo de ser governador do Estado de Goiás. Tentou pela primeira vez em 1994, mas quebrou a cara. Não se classificou nem ao menos para o 2º turno, disputado naquela eleição entre Maguito Vilela, que foi eleito, e Lúcia Vânia. Este ano, mesmo diante de enormes problemas, como uma base de apoio inicialmente muito fraca – mas que cresceu antes mesmo de ir para as ruas buscar votos – ele novamente não foi para o 2º turno. Caiado simplesmente não precisou da segunda etapa para se eleger. Levou logo 60% dos votos válidos, 10% mais do que precisava. Um recorde fantástico neste século.

Secretariado: mistério absoluto

Secretariado: mistério absoluto

Se chegar ao governo sempre foi, digamos assim, um sonho de consumo de Ronaldo Caiado, por que ele não anunciou um único nome para seu Secretariado? Essa resposta talvez apenas ele e seu círculo mais íntimo possa responder. Caiado tem mantido um silêncio total a esse respeito. E o pior é que, segundo ele mesmo, em entrevista ao jornal O Popular, mais da metade de seu governo já está definido. E continua totalmente mantido em sua cabeça.

O resultado dessa equação silenciosa é que os aliados dele, diretamente interessados nas parceladas do poder palaciano, especulam pra todo lado, e de certa forma esperneiam também. Estão, como se pode dizer, à beira de um ataque de nervos.

Oficialmente, Caiado diz que antes de falar sobre os nomes daqueles que devem ajudá-lo a governar ele precisa de um diagnóstico sobre o que irá encontrar pela frente. Do ponto de vista prático, não faz tanto sentido assim. Ele só vai saber realmente o que terá pela frente após adentrar o Palácio. Equipes de transição captam somente o que há de bom. Os esqueletos ficam sempre dentro dos armários.