PSDB: futuro do partido em Goiás passa por Jardel Sebba

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 0 Filament.io 0 Flares ×

O ex-deputado estadual e ex-prefeito de Catalão, a mais importante, rica e populosa cidade da região Leste do Estado, Jardel Sebba, lançou candidato a presidente do PSDB goiano. Parece não fazer muito sentido uma coisa como essa exatamente quando o partido sofreu o maior revés eleitoral de sua história. No mundo “normal”, isso realmente não faz sentido algum. No mundo político, porém, o oxigênio é outro. Vitórias e derrotas são fatos de uma mesma moeda, um lado não existe sem o outro.

jardel

O massacre das forças político-eleitorais desencadeadas por Ronaldo Caiado nas eleições do final do ano passado é algo a ser analisado com o devido distanciamento temporal do calor da derrota. De qualquer forma, o que fica essencialmente a um grupamento derrotado de maneira tão acachapante como o sofrido pelo PSDB e seus aliados é sua capacidade de resiliência. Em Goiás, há um belo exemplo dessa força para sobreviver, o MDB. Os peemedebistas, com poder hegemônico absoluto por 16 anos, foi estraçalhado em 1998, e desde então, eleição após eleição, colheram derrotas e se mantiveram no protagonismo como 2ª mais importante força política de Goiás. Desde o final da década de 1990, o partido nunca mais chegou ao 1º lugar na votação para governador, mas nunca foi menos que o 2º colocado.

Jardel Sebba seria, de certa forma, uma retomada de posicionamento do PSDB a partir do embasamento de sua história recente, muito mais vitoriosa do que qualquer outro partido por mais de duas décadas. Obedecidas as proporções políticas individuais, é algo semelhante à história de resiliência do MDB, que se manteve em Iris Rezende – repita-se: obedecidas as proporções políticas individuais.

Olhando por esse prisma, muito embora tantas outras formas de concepção de ideias a respeito possam ser feitas, Jardel talvez seja um sopro de esperança para o PSDB. Não é muito para um partido que se avolumou gigantescamente dentro do palácio, mas é o que o partido tem para hoje.