tinto, branco e rose taça

Vinhos: tinto, branco ou rose?

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 0 Filament.io 0 Flares ×

Existe uma guerra não declarada entre os bebedores de vinho. Alguns xiitas do reino de Baco chegam a dizer que o vinho, vinho mesmo, é apenas o tinto. O branco e o rose seriam então degenerações. Será que é isso mesmo? Não, é claro que não é.

tinto, branco e rose taça

Os vinhos tintos são melhor elaborados, sem dúvida, mas isso não significa que não existam espetaculares brancos ou estimulantes roses. Além disso, todos os vinhos de longa guarda são tintos.  Os brancos não aguentam passar uma ou duas dezenas de anos nas garrafas. Nem todos os tintos conseguem fazer isso, mas há aqueles que vão além desse prazo e ainda permanecem evoluindo. Os roses também são para consumo mais rápido.

Variedades

O reinado dos tintos é maior porque há muito mais variedade. Mas, sem dúvida, os principais são mesmo o Cabernet Sauvignon e a majestade Pinot Noir. Essas uvas produzem vinhos inigualáveis, ricos, poderosos, cheios de persistência. bouchardmontrachetgrandcruEntre os brancos, a Chardonnay é a uva rainha. É com ela que se produz inesquecíveis Grand Cru na região de Borgonha, na França – sempre ela. Mas a rainha da elite branca tem uma princesa à altura, a Riesling, da Alsácia, região que fica na divisa entre a França e a Alemanha. Os roses navegam bem entre muitas variedades, mas a Grenache é uma das mais atuantes.Rose francês

Tá, mas aí volta a velha discussão: vinhos brancos e roses são tão bons quanto os tintos? Claro que sim, mas são mais restritos. Tintos vão bem, dependendo a uva com que é feito, com quase tudo. Brancos e roses atendem nichos específicos dos acompanhamentos. Peixes, por exemplo, batem super legal com vinhos brancos. Os roses, pela estrutura geralmente macia, é super refrescante. Fora isso, o que existe mesmo é um certo preconceito. Os xiitas chegam ao extremo de achar roses vinhos meio afeminados, vê se pode um trem desses.

Sabores

Nada pode ser mais agradável do que uma bela taça de champagne ou espumante lindamente perfumada, cheia de bolinhas e amarelo-palha bem leve. Tem gosto permanente de festa. Vai bem com ostras frescas ou gratinadas, com peixes de escama assados e é fantástico com sashimi e sushi. TokajiE o que dizer dos Tokaji da Hungria, saborosíssimas gotas de néctar adocicadas e perfeitas para a sobremesa? E os Chablis e Grand Cru elaborados com Chardonnay ou os Riesling de sabores marcantes da Alsácia? Definitivamente, não há como não considerar os brancos vinhos extraordinários.

Riesling-Alsace-Trimbach

Os roses ficam entre os tintos e os brancos apenas na aparência. São brancos de alma rosada. Seriam eles os vinhos boa praça. Leves, com pouca ou quase nenhuma concentração, passam ao largo dos excessos. Os espanhóis são mestres na arte de fabricação de saborosos roses. Mas o gosto despreocupado e descompromissado dos roses franceses não ficam atrás.

Champagne

Sobre os tintos nem é bom falar. São inúmeras as variações com Cabernet, Pinot, Merlot, Syraz, Touriga Nacional, Sangiovese… E são tão variadas as maneiras de vinificação que se produz vinhos para consumo rápido, de média guarda e exemplares que precisam de 10 anos ou mais para atingirem o máximo que podem oferecer.

Então, se fosse para classificar hierarquicamente o reino dos vinhos, talvez fosse correto aceitar o tinto como rei, o branco como rainha e o rose como príncipe. Nesse mundo não existe plebeu.